O perfil do cidadão do Céu

Salmo 15 – Salmo de Davi – “O perfil do cidadão do Céu”

“1 SENHOR, quem habitará no teu tabernáculo? Quem morará no teu santo monte?
2 Aquele que anda sinceramente, e pratica a justiça, e fala a verdade no seu coração.
3 Aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhum opróbrio contra o seu próximo;
4 A cujos olhos o réprobo é desprezado; mas honra os que temem ao Senhor; aquele que jura com dano seu, e contudo não muda.
5 Aquele que não dá o seu dinheiro com usura, nem recebe peitas contra o inocente. Quem faz isto nunca será abalado.”
Salmos 15:1-5

Bela poesia, que revela, bom entendimento de Deus, e o comportamento que Ele espera dos seus, pudera, foi inspirada pelo Espírito Santo!

O texto se consiste em duas perguntas “feitas a Deus”, que supostamente as responde, não diretamente é claro, mas o autor das perguntas com os conhecimentos que dEle tem, um recurso usado para se discutir determinado assunto com diferentes pensadores, não podem mais responder, procurando dar respostas que os mesmos dariam, tendo como base suas obras escritas, ou publicações de seus discursos, com pequena margem de erro, em se tratando da bíblia a palavra de Deus, erro nenhum, zero.

As perguntas quem habitará no teu tabernáculo, quem morará no teu santo monte, a resposta é uma serie de adjetivos de qualidade, que dificilmente serão encontrados todos numa só pessoa, portanto inatingível, se pudesse ser atingindo por uma pessoa um ser humano comum, este seria perfeito, como não há homem perfeito além de Jesus Cristo, nosso salvador que nos aperfeiçoa em Si mesmo, mas o fato de sabermos que nunca chegaremos ao pleno nível, nível de qualificações para chegar ao nível pleno do perfil de um cidadão do céu, não deve diminuir a nossa luta contra o pecado para busca-lo. Vale também dizer que as duas perguntas apresenta dois verbos que parecem sinônimos, mas não são, e não foram colocados ao acaso. Trata-se dos verbos habitar no teu tabernáculo e morar no teu Santo Monte, “Habitar é mais profundo do que morar da uma sensação de pertencimento” “Morar dá uma sensação de estar de passagem, local transitório, local onde mora no momento, mas não pertence a este lugar” O Tabernáculo de Deus penso seria a habitação eterna e o Santo Monte penso seria o Monte Sião onde foi construído o templo, onde Deus manifestava a sua gloria, lugar transitório para os adoradores.