A visão que precede a profecia

Inicio da Mensagem 21/05/2017 – Parque Aliança – Jeremias 24:1-10 – “A visão que precede a profecia” “A explicação da profecia” “O Julgamento de Deus”

“1 Fez-me o SENHOR ver, e eis dois cestos de figos, postos diante do templo do SENHOR, depois que Nabucodonosor, rei de babilônia, levou em cativeiro a Jeconias, filho de Jeoiaquim, rei de Judá, e os príncipes de Judá, e os carpinteiros, e os ferreiros de Jerusalém, e os trouxe a babilônia.
2 Um cesto tinha figos muito bons, como os figos temporãos; mas o outro cesto tinha figos muito ruins, que não se podiam comer, de ruins que eram.
3 E disse-me o Senhor: Que vês tu, Jeremias? E eu disse: Figos: os figos bons, muito bons e os ruins, muito ruins, que não se podem comer, de ruins que são.
4 Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
5 Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: Como a estes bons figos, assim também conhecerei aos de Judá, levados em cativeiro; os quais enviei deste lugar para a terra dos caldeus, para o seu bem. 
6 Porei os meus olhos sobre eles, para o seu bem, e os farei voltar a esta terra, e edificá-los-ei, e não os destruirei; e plantá-los-ei, e não os arrancarei.

7 E dar-lhes-ei coração para que me conheçam, porque eu sou o Senhor; e ser-me-ão por povo, e eu lhes serei por Deus; porque se converterão a mim de todo o seu coração.
8 E como os figos ruins, que se não podem comer, de ruins que são (porque assim diz o Senhor), assim entregarei Zedequias, rei de Judá, e os seus príncipes, e o restante de Jerusalém, que ficou nesta terra, e os que habitam na terra do Egito.
9 E entregá-los-ei para que sejam um prejuízo, uma ofensa para todos os reinos da terra, um opróbrio e um provérbio, e um escárnio, e uma maldição em todos os lugares para onde eu os arrojar.
10 E enviarei entre eles a espada, a fome, e a peste, até que se consumam de sobre a terra que lhes dei a eles e a seus pais.”
Jeremias 24:1-10

Jeremias 38:1-13 – A proclamação da palavra profética (a verdadeira) e as consequências que sofreu o profeta “o verdadeiro”

“1 Ouviram, pois, Sefatias, filho de Matã, e Gedalias, filho de Pasur, e Jucal, filho de Selemias, e Pasur, filho de Malquias, as palavras que anunciava Jeremias a todo o povo, dizendo:
2 Assim diz o Senhor: O que ficar nesta cidade morrerá à espada, de fome e de pestilência; mas o que sair aos caldeus viverá; porque a sua alma lhe será por despojo, e viverá.
3 Assim diz o SENHOR: Esta cidade infalivelmente será entregue na mão do exército do rei de babilônia, e ele a tomará.
4 E disseram os príncipes ao rei: Morra este homem, visto que ele assim enfraquece as mãos dos homens de guerra que restam nesta cidade, e as mãos de todo o povo, dizendo-lhes tais palavras; porque este homem não busca a paz para este povo, porém o mal.
5 E disse o rei Zedequias: Eis que ele está na vossa mão; porque o rei nada pode fazer contra vós.
6 Então tomaram a Jeremias, e o lançaram na cisterna de Malquias, filho do rei, que estava no átrio da guarda; e desceram a Jeremias com cordas; mas na cisterna não havia água, senão lama; e atolou-se Jeremias na lama.
7 E, ouvindo Ebede-Meleque, o etíope, um eunuco que então estava na casa do rei, que tinham posto a Jeremias na cisterna (estava, porém, o rei assentado à porta de Benjamim),
8 Logo Ebede-Meleque saiu da casa do rei, e falou ao rei, dizendo:
9 Ó rei, senhor meu, estes homens agiram mal em tudo quanto fizeram a Jeremias, o profeta, lançando-o na cisterna; de certo morrerá de fome no lugar onde se acha, pois não há mais pão na cidade.
10 Então deu ordem o rei a Ebede-Meleque, o etíope, dizendo: Toma contigo daqui trinta homens, e tira a Jeremias, o profeta, da cisterna, antes que morra.
11 E tomou Ebede-Meleque os homens consigo, e foi à casa do rei, por debaixo da tesouraria, e tomou dali uns trapos velhos e rotos, e roupas velhas, e desceu-os a Jeremias na cisterna por meio de cordas.
12 E disse Ebede-Meleque, o etíope, a Jeremias: Põe agora estes trapos velhos e rotos, já apodrecidos, nas axilas, calçando as cordas. E Jeremias assim o fez.
13 E puxaram a Jeremias com as cordas, e o alçaram da cisterna; e ficou Jeremias no átrio da guarda.”
Jeremias 38:1-13

Deus pode até livrar seus verdadeiros profetas da morte e sofrimentos por anunciarem sua palavra, mas nem sempre é assim, no caso de Jeremias, foi livrado da morte, mas não dos sofrimentos. A mensagem de Jeremias ao povo após a visão dos cestos de figos bons e os ruins, que de ruins que eram não se podia comer. Os figos bons foram levados para Babilonia e aquilo que parecia o fim para eles, era o livramento, da espada, da fome e de peste. Os figos ruins que de ruins que eram não se podia comer, permaneceram na terra, e o que parecia bom para eles, na verdade foi sua ruína, povo obstinado insistiu em pecar, não obstante a mensagem do profeta Jeremias. Versículos 1-3.

Por falar a mensagem verdadeira, que não agradava o povo apesar de ser a verdadeira palavra de Deus o profeta sofreu as consequências, Jeremias que capítulo 37:15-21 foi acoitado, preso numa casa transformada em cárcere, e por fim detido no átrio da guarda. Mas não cessou de pregar a mensagem Versículos de 1-3 por continuar foi colocado numa cisterna onde não havia água mas só lama Versículos4-6 onde morreria se não fosse livrado, e o livramento veio, não através dos seus parentes, nem de seus amigos, ninguém quis se comprometer com o profeta “verdadeiro” mas condenado pelos homens. Mas havia ali um estrangeiro, um etíope chamado Ebede Meleque que estava enchergando o que estava acontecendo, mesmo sendo um homem sem influência mas com acesso ao rei, intercedeu por Jeremias, e conseguiu a ordem do rei para tirar Jeremias da cisterna, Versículos 7-10 . Jeremias foi retirado da cisterna e livrado da morte, por Ebede Meleque o etíope o estrangeiro, eunuco do rei. As vezes o castigo e o livramento vem de onde não se espera.